João Correia ataca na mesa final para vencer PPS de Espinho e recolher €26.701

ps_news_thn.jpgTrês dias, 23 níveis de 60 minutos e muito sacrifício depois, João Correia venceu a etapa de Espinho das PokerStars Portugal Poker Series que colocou um ponto final na primeira temporada deste novíssimo circuito de torneios ao vivo da PokerStars. Sem nunca dar muito nas vistas, passando dia após dia com uma stack, digamos, suficiente para manter vivas as aspirações, Correia atacou no momento certo para conquistar os €26.701 que estavam reservados para o vencedor.

E esse momento foi, precisamente, a mesa final. Foi aí a primeira vez que João Correia se apoderou da liderança para nunca mais olhar para trás. Um double up às custas de Victor Moreira, que tentou expulsá-lo do pote com A-K num flop J-Q-J onde atingira top pair, catapultou Correia para a posição de onde nunca mais saiu.

joao-correia-pi-25708.jpg

João Correia, vencedor das PPS Espinho

Depois, assumiu a responsabilidade de eliminar o terceiro classificado para entrar no heads-up com uma vantagem que lhe permitiu encarar de outra forma "o adversário que mais dificultou a vida na mesa final". "O Victor, sem dúvida", elogiou Correia. "É sempre bom ganhar em Espinho, que é a minha casa. Quando achei que podia ganhar o torneio? Acho que no mesmo momento que toda a gente, que é o momento em que ele começa. Senão não vinham", concluiu.

O arranque da mesa final contrastou com o início do dia, no qual bastaram 50 minutos para que caíssem cinco jogadores e se chegasse à mesa final. Na altura, Pedro Azevedo assumira a liderança com 440.000 fichas, mas era seguido bem de perto por dois adversários com 420.000.

Lugar 1: Carlos Branco, 130.000
Lugar 2: Victor Moreira, 280.000
Lugar 3: Pedro Azevedo, 440.00
Lugar 4: Paulo Santos, 95.000
Lugar 5: João Correia, 110.000
Lugar 6: Tiago Figueiredo, 420.000
Lugar 7: Carlos Oliveira, 85.000
Lugar 8: Filipe Pacheco, 420.000
Lugar 9: Luís Rodrigues, 115.000

final-table-PPS3.jpg

Atrás: João Correia, Pedro Azevedo, Luís Rodrigues e Paulo Santos; À frente: Filipe Pacheco, Tiago Figueiredo, Carlos Oliveira, Victor Moreira e Carlos Branco

Zzzzzzz...

Foram precisas, então, duas horas e 15 minutos para a mesa final sofrer a primeira baixa, já depois de, a um período de acalmia (para não dizer sonolência) onde toda a gente parecia ter medo de arriscar, as aguas começarem a ficara agitadas com um all-in triplo que resultou em double up para os dois short stacks. Foi então que Carlos Oliveira esbarrou um par de 10 nas damas de Filipe PachecO. Carlos Oliveira recolhia €2.912.

carlos-oliveira.jpg

Carlos Oliveira

A moda do triplo all-in...

Mal entrou o nível seguinte, assistiu-se a um novo all-in triplo, de onde saiu "mal na fotografia" Carlos Branco, em dificuldades com o seu A♣2♣ face aos 8♦8♣ de Pedro Azevedo e aos 9♦9♥ de Filipe Pacheco. Filpac atingiu um set no flop, mas Azevedo dobrou graças a um 10 no river e Carlos Branco levou €3.641 pelo 8.º posto. E deixou a mesa final sem Carlos...

carlos-branco-FT.jpg

Carlos Branco

A vingança serve-se fria!

Com essa mão, Pedro Azevedo conseguia um grande double-up às custas de Filpac, mas este recuperou numa mão em que fez um set de duques e deixou Azevedo reduzido a pouco mais de 100.000 fichas num dos maiores potes do torneio até ao momento. Um par de setes foi suficiente para que decidisse empurrar 15 big blinds, pouco depois, mas esbarrou nos K♣K♥ de João Correia e, sem ajuda da board, recolheu €4.612 pelo 7.º posto.

pedro-azevedo.jpg

Pedro Azevedo

Com reis se ganha, com Ás-Rei se perde...

Luís Rodrigues, que obtivera o primeiro double up da mesa final quando o seu par de reis encontrou um K♣ no turn para destruir os A♥A♠ de Tiago Figueiredo, estivera bastante quieto até então e acabou por entrar numa corrida de A-K contra par de oitos. O flop 3♠7♦8♦ praticamente sentenciou, desde logo, a sua saída na 6.ª posição. Salvaram-se os €5.583 que recebeu por isso.

luis-rodrigues.jpg

Luís Rodrigues

Victor renasce

Não é que alguma vez tenha estado em dificuldades, mas ao eliminar Paulo Santos no 5.º lugar ficou com fichas para, depois, voltar a jogar como gosta... Por exemplo, defender a blind com 8♥9♥, sair a apostar num flop com duas overcards, dois adversários e esfregar a sua mão dizendo que "agora já dá para fazer estas coisas".

Mas não foi propriamente numa board tão perigosa que eliminou Paulo Santos. Este abriu com Ás-Valete, atingiu top-pair e top kicker num flop que deixou Victor aberto para sequência e em flush draw. As fichas voaram para o meio, o turn completou o straight de Victor e o river melhorou a sua mão para flush. Quando assim é, nada há a fazer! Pelos três dias de esforço, Paulo Santos recebeu €6.756.

paulo-santos.jpg

Paulo Santos

A queda de um líder

Chegou, depois, a vez de nos despedirmos de Tiago Figueiredo. Chip leader no final do Dia 2, Tiago geriu a sua stack com mestria até à mesa final. Envolveu-se nos spots correctos, perdeu aqui, recuperou ali, mas a determinada altura viu-se obrigado a arriscar tudo. Só que Victor Moreira, líder do Dia 1, estava simplesmente imparável e quando Tiago atingiu top pair num flop A♥J♥5♥, Victão tinha bottom set e recolheu mais um escalpe. De líder para líder, chegava ao fim o torneio de Tiago Figueiredo em 4.º lugar (€8.253).

tiago-figueiredo.jpg

Tiago Figueiredo

Caldos de galinha

Depois, o torneio voltou a entrar num período onde a máxima em vigor era "Cautelas e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém. Foi preciso esperar mais uma hora e 15 minutos de jogo efectivo para que se desse mais uma eliminação. Filipe Pacheco que, em várias fases do torneio figurou destacado no topo da chip count não aguentou uma série de mãos negativas e acabou eliminado por João Correia, chip leader na fase three-handed. Correia abriu o pote e Pacheco encostou as suas quase 500.000 fichas com A♥T♠ na expectativa de se lançar numa corrida que lhe devolvesse o lugar que já fora seu por diversas vezes, mas esbarrou no A-K do rival e numa board que em nada o ajudou. €9.952 são um bom soldo por três dias de trabalho, apesar de tudo.

filipe-pacheco.jpg

Filipe Pacheco

Top pair vs two pairs

Com a eliminação de Filipe Pacheco, João Correia cimentava ainda mais a sua liderança e entrava no heads-up com uma vantagem de 3 para 1 em fichas. Não tardou muito que o turn de uma board J♣4♦Q♠3♥ precipitasse o triunfo de João Correia, que apanhou Victor com top pair de Q♦9♠ com os seus dois pares de Q♥3♠. Victor Moreira, chip leader do Dia 1 saía, desta forma, como vice-campeão e com um prémio de €16.992.

victor-moreira.jpg

Victor Moreira

Chegou assim ao fim a primeira temporada das PokerStars Portugal Poker Series, um circuito com três etapas que, contabilizando os torneios de Vilamoura e Figueira da Foz distribuiu quase €300.000 em prémios. Parabéns a João Correia, mas também a José Passos e a João Costa, vencedores das duas etapas anteriores.

Da minha parte, resta-me agradecer-vos por acompanharem a Cobertura ao Vivo destes torneios aqui no Blog da PokerStars e agradecer também ao PokerPT.com pela cedência de diversas fotografias ao longo destes três dias, incluindo todas as que fazem parte deste post.

Agora, uma despedida... à Xutos & Pontapés! TCHAU MALTA! ATÉ PRÓ ANO!!!

Bónus de Primeiro Depósito

Todos os jogadores que façam o seu primeiro depósito na PokerStars têm direito ao nosso depósito de 100% até $600.

Arquivo