Profissão: Jogador de Poker

Por Katerina 'Katerina289' Malasidou*

Como ganhas a vida? Acho que esta pergunta vai ser uma luta eterna para os jogadores de poker. Isaac Haxton escreveu um excelente post sobre isto no início deste ano, explicando quais as diferentes reacções que podes esperar das pessoas quando dizes que ganhas a vida a jogar poker.

Se o poker é a tua principal ocupação ou se leste o artigo do Isaac, então deves estar familiarizado com as reacções que podes encontrar. Mais frequentemente do que o contrário, o que seria uma conversa de dois minutos para a maioria das pessoas transforma-se num debate de meia hora para ti. E o problema persiste: cada vez que ouves a pergunta, provavelmente pensas "Here we go again" enquanto és invadido por um sentimento de resignação.

Ao longo do tempo tenho-me apercebido que recorro a algumas estratégias para me ajudar a lidar com isto. Algumas das coisas provavelmente já as usas, mas nunca pensaste conscientemente nisso. Em primeiro lugar tens de identificar a situação em que te encontras.

Eles precisam mesmo de saber?
Pergunta-te a ti mesmo se a outra pessoa precisa mesmo de saber qual é a tua profissão. Se estiverem apenas a fazer uma pequena conversa de circunstância, a resposta é não. Seres professor, astronauta ou jogador de poker não lhes importa. Por outro lado, se tens uma consulta no médico e ele pergunta o que fazes na vida, então é informação crucial. O facto de passares montes de horas sentado numa cadeira a olhar para um monitor de computador pode ser relacionado com o que quer que te tenha levado ao médico mesmo que não estejas a ver como. Da mesma forma, se estás num encontro, então provavelmente não é má ideia partilhares a tua ocupação. Talvez não no primeiro encontro, mas algures pelo caminho a outra pessoa terá de saber o que fazes.

Assim que tiveres definido até que ponto a pessoa com quem estás a conversar precisa ou não de saber do teu trabalho, colocam-se dois cenários distintos. O primeiro é quando têm de saber, pelo que explicas como é ser jogador de poker e respondes a todas as suas questões. Mas onde pretendo focar-me é no segundo cenário, onde não precisam de saber.

8G2A3418__TeamOnline_Katerina_Malasidou_Neil Stoddart.jpg

Fichas? Quais fichas?

Evita a pergunta
Não há melhor forma de resolver um problema do que assegurar que ele não acontece, de todo. A verdade é que consegues prever quando a pergunta incómoda vai saltar a meio de uma conversa. Se estiveres a falar ocasionalmente com alguém que acabaste de conhecer, há montes de assuntos sobre os quais podes falar. O tempo, o local onde estás, o amigo em comum que vos juntou, etc. Mantém a conversa longe do trabalho. E não sejas o primeiro a perguntar-lhes como ganham a vida. Depois de te dizerem, é natural que te devolvam a pergunta.

Muda de assunto
Às vezes, por muito que procures conduzir a conversa por outro caminho qualquer, acabarão por perguntar-te o que julgam ser uma simples pergunta. Isto pode parecer estranho, mas podes mudar imediatamente de assunto sem sequer responder. O truque é fazê-lo com naturalidade, como se estivesses mesmo interessado no que quer que digas a seguir e não a fugir à pergunta. Digamos, por exemplo, que vais num Táxi e o taxista pergunta-te como ganhas a vida. Não estás mesmo na disposição de estar a explicar como funciona o poker a um perfeito estranho, por isso respondes com outra pergunta: "Acha que vamos apanhar trânsito na rua X? Talvez haja um atalho por onde possamos seguir..." Pode parecer demasiado simples, mas ficarás surpreendido com a quantidade de vezes que funciona. O mais certo é o taxista estar apenas interessado em manter uma conversa amigável contigo e quer lá saber! Podes falar de como o trânsito fica sempre àquela hora, que as pessoas estão a voltar das férias, do restaurante por onde acabaste de passar. Se resultar, quase nunca voltam a perguntar-te como ganhas a vida.

A mentira descarada
Não tenho propriamente orgulho desta técnica, mas aposto que todos os jogadores de poker já mentiram pelo menos uma vez sobre a sua ocupação. Se não o fizeste, então deves considerar-te um felizardo. De uma forma geral, já estou habituada aos "Oooohs" e "Aaaahs" e enfrentar as perguntas que se seguem a "ganho a vida a jogar poker". Mas, sejamos sinceros, às vezes o melhor mesmo é não revelar a verdade. Quero mesmo entrar em detalhes com a vizinha de 80 anos da minha avó? Nope. Tenho todo o prazer em explicar como consigo viver do poker a pessoas de mente aberta ou que, pelo menos, sejam interessadas, mas nalguns casos já sei o que vai acontecer. No caso da vizinha de 80 anos, sou capaz de ganhar uns olhares de lado e seguramente vai haver bisbilhotice por todo o prédio: "Então não sabes? A neta dela é uma viciada em jogo!" Acho mais fácil dizer-lhes o que querem ouvir. Algumas pessoas não percebem porque não querem, por muito que te esforces.

Mantém-te tão perto da verdade quanto possível
Quando mentes, julgo que o melhor é manteres-te tão perto da verdade quanto possível. Só porque decidi não dizer a alguém que sou jogadora profissional de poker, não quer dizer que diga que sou bailarina na Bolshoi Academy. Digo que sou contabilista, que foi o meu emprego anterior. Se me fizerem mais perguntas sobre isso, tenho as respostas prontas. Não estou a mentir em mais nada. Estou a dar-lhes factos sobre um trabalho que conheço, só não é o que faço actualmente. Noutras vezes, digo a verdade mas omito algumas partes. Para mim, isso também é mentir, mas com tacto. "O que faço? Então, trabalho com computadores para uma empresa internacional". Porque, hey, eu jogo poker online, por isso trabalho com um computador o dia inteiro. E sou orgulhosamente patrocinada pela PokerStars, que é uma grande empresa que opera em muitos países. Por isso, 100% do que disse é verdade. Na maior parte das vezes isso desinteressa-os da conversa e algumas pessoas, como a vizinha de 80 anos da minha avó, são bem capazes de mudar de assunto elas mesmas assim que mencionas a palavra "computador".

O bom nisto tudo é que os tempos estão a mudar. Acontece-me cada vez mais frequentemente ser surpreendida pelas pessoas. "Ganhas a vida a jogar poker? Fixe! Tenho um amigo de um amigo que também joga a full time. Não sei o que faz ao certo, mas sei que o poker é a sua única ocupação". O jogo está a tornar-se cada vez mais popular a cada dia que passa, pelo que é normal que haja cada vez mais gente de fora do mundo do poker a conhecê-lo. Quanto mais a palavra se espalha, mais perto chegamos do ponto em que ser jogador de poker será simplesmente uma profissão válida em todo o lado. Por isso, na próxima vez que alguém te perguntar como ganhas a vida, pensa no que vais responder porque pode ser que até valha bem a pena entrares nesse debate de meia hora!

Katerina 'Katerina289' Malasidou é membro da Team PokerStars Online

Bónus de Primeiro Depósito

Todos os jogadores que façam o seu primeiro depósito na PokerStars têm direito ao nosso depósito de 100% até $600.

Arquivo